Síndrome das Pernas Inquietas e a Medicina Tradicional Chinesa

17/05/2021 por admin
sindrome_pernas.jpg

A síndrome das pernas inquietas é uma condição física em que a pessoa tem uma vontade incontrolável de mexer as pernas, movendo-as involuntariamente. Normalmente esse movimento ocorre durante o sono, atrapalhando a qualidade do mesmo. Assim sendo, podemos dizer que a síndrome das pernas inquietas é um distúrbio neurológico do sono.

Ainda não se sabe ao certo qual é a causa desta síndrome, no entanto, alguns especialistas suspeitam que esteja relacionada com algum desequilíbrio da dopamina no cérebro, que envia as mensagens que controlam os movimentos musculares do corpo. As causas estão mais relacionadas, na verdade, aos seus fatores de risco, tais como:

  • Hereditariedade, no caso, de alguém na família ter desenvolvido este síndrome após os 40 anos de idade;
  • Gravidez – as mulheres grávidas costumam apresentar esta patologia, que geralmente passa após o nascimento da criança;
  • Doenças crónicas, como diabetes, doenças renais, doença de Parkinson ou neuropatia periférica;
  • Privação de sono;
  • Excesso de álcool ou cafeína;
  • Tabagismo;
  • Obesidade;
  • Uso de algumas medicações para doenças psiquiátricas;
  • Anemia;
  • Processo de retirada de um sedativo.

Os seus principais sintomas são:

  • Sentir urgência em movimentar as pernas quando se está deitado ou sentado com as pernas direitas, perdendo essa vontade quando se faz algum movimento intencional com as pernas, como alongá-las, sacudi-las, cruzá-las ou começar a andar;
  • Os sintomas descritos pioram durante a noite;
  • Ter crises de movimentos periódicos das pernas durante o sono;
  • Chutar e movimentar as pernas a noite toda, enquanto dorme;
  • Dormência nas pernas;
  • Formigueiros;
  • Comichão.

Para a medicina ocidental, muitas vezes, a síndrome das pernas inquietas é resolvida com o tratamento da doença subjacente que está a causar o problema (por exemplo anemia ou a neuropatia). No caso de não haver nenhuma condição clínica associada à patologia, os tratamentos têm por base medicamentos e mudanças de hábitos.

 

Síndrome das Pernas Inquietas e a Medicina Tradicional Chinesa

Para a Medicina Tradicional Chinesa, a síndrome das pernas inquietas revela um desajuste entre o tempo de estar calmo e o tempo de estar activo.

Ao invés da Medicina Ocidental, a Medicina Chinesa não procura o tratamento das doenças a partir da sua explicação com base nas alterações de parâmetros bioquímicos. Neste caso a Medicina Chinesa interpreta estes sinais como a manifestação de ritmos desregulados e na incapacidade do doente repousar e descansar de forma a permitir que durante a noite o seu organismo use as suas energias para promover a regeneração dos seus processos.

A gravidade deste desequilíbrio relaciona-se com o facto desta perturbação impedir um sono recuperador, e por isso não permitir que o organismo se mantenha saudável.

Em qualquer patologia, a Medicina Chinesa preocupa-se em regular o sono, pois só assim poderemos melhorar a saúde do indivíduo. Assim, o Síndrome das Pernas inquietas merece uma melhor atenção, visto que, não sendo resolvido irá levar rapidamente a outras complicações que afectarão a saúde e a qualidade de vida do paciente.

Uma vez que cada paciente é um caso único (dado que os sintomas e os fatores de riscos não são iguais em todas as pessoas) é necessário um diagnóstico completo para que o especialista consiga perceber o que está a desencadear a patologia. Depois de uma consulta inicial, e estabelecido um diagnóstico diferencial, poderão ser propostos vários tipos de tratamentos (em conjunto ou separadamente), como o Qi Gong, acupuntura, fitoterapia, massagem Tui Na, e a reeducação de hábitos e rotinas.

Se sofre de síndrome de pernas inquietas ou qualquer patologia associada, ou se conhece alguém que sofre da mesma, não espere mais! A Medicina Chinesa poderá ajudar no seu tratamento. Contacte-nos para o nº 914 805 004 ou por email: [email protected].

logoTDR_branco

A Tian Di Ren, tem como missão:
- Proporcionar a melhoria da Qualidade de Vida numa perspectiva de complementaridade e integração a partir de uma concepção holística do ser humano, e na assunção que cada ser humano é uno e único, influencia e é influenciado por tudo o que o rodeia.

Newsletter